Com a crescente violência em centros urbanos, assaltos e furtos em condomínios estão se tornando cada vez mais comuns. Portanto, buscar evitar este tipo de delito se torna uma necessidade.

O R7 noticiou, ainda este mês, a ação de 2 jovens que se passaram por sobrinhos de um morador para invadir um condomínio da zona sul de São Paulo.

Graças a ação rápida do porteiro, a tentativa de roubo foi frustrada e um prejuízo de aproximadamente R$100 mil foi evitado.

A situação pode parecer difícil. Desesperadora, até.

Mas calma, estamos aqui para te ajudar. Acompanhe neste artigo informações valiosas para se proteger contra assaltos em condomínios.

Assaltos em condomínios: Um problema em todo o Brasil

Antes de tudo, é importante ter uma noção real do problema que estamos enfrentando.

Segundo o G1, em 2018, o número de roubos e furtos em condomínios cresceu 56% em São Paulo.

Notícias como essa, de Fortaleza, tornam-se cada dia mais comuns em todo o país.

Em meio a tudo isso, condomínios pelo Brasil estão investindo em soluções de controle de acesso, como portões automatizados e biometrias.

Entretanto, casos como o noticiado acima ainda podem ocorrer. Por isso é necessário também investimento em treinamento de pessoal e conscientização de moradores.

Como agem os assaltantes

Os bandidos costumam observar o funcionamento do condomínio muito antes de realizarem o roubo. Para isso podem se aproveitar de anúncios de unidades a venda e informações de moradores.

Quando não entram pela garagem, podem pegar “carona” com pedestres. Além disso, um de seus métodos favoritos é aplicar o golpe de falso entregador, falso carteiro ou outros prestadores de serviço.

No crime mencionado no início desse artigo, os adolescentes apresentaram-se como parentes de um suposto morador que ligou para a portaria avisando que seus sobrinhos visitariam um apartamento a venda.

Apesar do furto ter sido impedido, a prevenção ainda é a melhor maneira de combater estas práticas.

Para isso o condomínio precisa de um controle de acesso coeso e eficiente. Isso inclui um regulamento claro a se seguir, soluções tecnológicas, treinamento de pessoal, etc.

Por exemplo, a entrada de prestadores de serviços e visitantes só deve ser liberada mediante autorização do morador – além disso, o registro da entrada deve ser devidamente armazenado.

Os dados da empresa, se houver, e documentos do prestador também devem ser guardados pela portaria.

Um bom regulamento irá incluir procedimentos simples que o porteiro deve seguir, como por exemplo, nunca destrancar ambos os portões da clausura simultaneamente.

O portal SíndicoNet preparou uma lista dos disfarces mais usados por assaltantes. Vale a pena conferir.

Precauções para evitar roubos e furtos

Neste ocorrido, o porteiro sabiamente usou sua intuição e notou que ambos os suspeitos estavam demorando demais. Infelizmente, nem sempre este é o caso.

O porteiro deve ter uma relação com os telefones de todos os moradores. Só após falar com o morador pelo contato deve-se liberar a entrada. Se seu condomínio possui o Severino, o contato pode ser feito através do chat.

No caso noticiado, um sistema de QR-Code para visitantes poderia inibir este tipo de acontecido. Uma vez que, com esta solução, o morador precisa estar devidamente cadastrado e estipular o tempo da visita.

Além do treinamento, é preciso que colaboradores como porteiros e vigias tenham a confiança de que não será chamada sua atenção se, por exemplo, deixar um visitante esperando um pouco mais em virtude de cumprir com as normas de segurança.

Oriente, também, a funcionários e moradores sobre a importância de sempre ter por perto uma maneira fácil de pedir ajuda e sobre números como o 190.

Tenha sempre em seu prédio um bom sistema de videomonitoramento, portões automáticos, biometrias e funcionários bem preparados.

Dessa forma, o seu condomínio estará bem protegido.

A maioria dos bandidos não tem um morador ou local predefinidos, eles escolhem como alvo condomínios que aparentam ser vulneráveis.

Então manter uma boa segurança também é uma maneira de evitar que sequer haja uma tentativa de crime.

Oriente também os moradores a tomarem precauções.

Seja ao divulgar informações pessoais em anúncios ou na internet, ou coisas simples como manter o controle do portão sempre junto a si.

Além disso, explique aos condôminos a importância de usarem senhas fortes em seus celulares para evitar invasões de seus dados pessoais.

E agora?

Certo, agora que você já tem informações valiosas sobre como evitar assaltos em seu condomínio, é hora de colocá-las em prática.

Mas, o que fazer?

O primeiro passo é identificar os fatores de risco de seu condomínio e combatê-los.

Treinar porteiros, zeladores e outros colaboradores para seguirem procedimentos de segurança é essencial em todos os casos.

Se seu condomínio não conta com um bom controle de acesso, talvez seja hora de buscar portões automáticos, sistema de câmeras avançado, entre outros.

Pesquise as melhores soluções do mercado e faça orçamentos, escolhendo sempre a opção com melhor custo benefício que atenda suas necessidades.

Um fornecedor de equipamentos bem conceituado no quesito segurança é a Linear-HCS (Hoje, conhecida como Nice).

Cheque se o condomínio possui um conjunto de regras escritas sobre como proceder sem comprometer sua segurança.

Se possuir, revise-o e divulgue a todos. Se não, escreva ou solicite ajuda profissional.

Assaltos em condomínios são um problema, sim. Mas através de simples ações, você poderá garantir a segurança de todos e finalmente dormir tranquilo.